segunda-feira, 21 de junho de 2010

GINJA COM ELAS...


GINJA COM ELAS

Quando há uns 5 ou 7 anos eu tinha aqui uma anoneira a precisar de ser transplantada, com pena de a deitar para o lixo, telefonei a uma amiga a perguntar se ela a queria levar lá para a quinta.

"Terreno é coisa que aqui não falta! Traz lá isso a ver se se dá aqui."- respondeu ela.

E foi assim que ela ganhou uma anoneira .

Mas, nesse dia, eu deixei uma árvore de fruto e trouxe um arbusto que ela tinha num vaso, carregado de umas belas flores amarelas.

Junto ao cale do arbusto vinha um tronquinho verde com meia dúzia de folhitas.

Disse o meu marido: " em troca levo uma gingeira"...

Por isso, naquele dia eu aumentei o meu espólio do jardim e do quintal.

A gingeira deu-se bem com a mudança. Cresceu a olhos vistos. O arbusto é a alegria das vespas e dos zangãos.

O mesmo não aconteceu à anoneira dela: Paz à sua alma!

................

O ano passado, a tal gingeira, carregou de frutos.

Vermelhos escuros, em cachos, sobressaindo entre a folhagem verde. Era um regalo para a vista e a alegria dos pardais da zona.

Experimentei-as. Nem sequer eram azedas. Percebi então porque a passarada fazia da árvore recreio.

E se bem o pensei melhor o fiz...

Este ano vamos ter ginginha!

.........................

Agora, quase um ano passado, posso dizer que é "um líquido fabuloso!

Apanhadas as ginjas, lavei-as, sequei-as bem e retirei-lhes os pés.

Coloquei-as numa garrafa de boca larga.

Juntei um pau de canela.

1/2 pacote de açúcar mascavado por cada garrafa.

Enchi quase até cima com aguardente bem forte ( cravei ao meu pai uma aguardente bem forte da sua lavra)

Guardei num armário bem escuro. Todos os dias virava a garrafa para o açúcar desfazer bem. Passados cerca de 2 meses , além de apenas misturar bem o conteúdo, deixava-a ficar uma vez com a boca para cima e na vez seguinte, virada ao contrário.

Passado quase um ano o açúcar está completamente diluído e óptima para beber.

Mas.... cuidado com ela!

Eram 2 garrafas...

E neste ventoso Domingo, como não tinha projectos para sair, decidi fazer um bolo de chocolate logo pela manhã.

A seguir ao almoço ,toca o telefone.

Queriam desencaminhar-nos para uma ida aos pastéis de Belém.

Depois de uma breve conversa, a decisão foi tomada: apareçam cá em casa pois vamos experimentar uma coisa.

E como para nós, todos os jantares de amigos são de festa (porque a verdadeira amizade hoje em dia merece ser comemorada)...

Fui novamente para a cozinha...

E um simples bolo para a família teve, a partir desse momento, direito a ser devidamente produzido: uma fácil e rápida cobertura de chocolate com natas e enfeitado com morangos e fisális do meu quintal.

E esta história acabou da melhor forma: num bolinho de chocolate e...ginga com elas.

Boa semana para quem me lê.

4 comentários:

ameixa seca disse...

Ginja é uma maravilha, apesar de me fazer mal à barriga :) Esse bolo também ficou com bom aspecto!

Smas disse...

Ora onde é mesmo que tu moras para te ir visitar nas férias e provar a ginginha?! EH eh eh
Bjs

Anônimo disse...

Aiiii se eu não fosse alergica ao chocolate......já estava ai a bater à porta....parece delicioso.

Fico-me portanto pela ginginha, sai uma para a mesa do canto...

Eheheheh

É tão bom receber os amigos, com um docinho fabuloso, assim vão aparecer de certeza mais vezes...e não será só pela boa companhia....tou a brincar...

beijinhos

Alda

isabel disse...

E desta deliciosa forma se honrou este sentimento tão nobre que é a Amizade!
beijinho.