sexta-feira, 29 de outubro de 2010

TAMARILHOS


TAMARILHOS


Uma fruta ainda desconhecida para muitas pessoas. E nem só pelo preço exorbitante a que se vendem nos supermercados mas apenas porque, muitas vezes, tem-se medo de experimentar algo diferente do mais habitual.
Mas é uma das várias árvores de fruta que tenho no meu quintal.
Começaram a amadurecer.
De sabor suave e um pouco indefinido: parecem ter um certo gosto a manga aromatizada de ameixa. Mas outras pessoas poderão achar-lhe outro sabor.
Para mim, a melhor maneira de os comer é abri-los como mostra a figura e com uma colher retirar-lhes a polpa. As sementes são bastante pequenas e são comestíveis. Não são duras.
O ano passado tive tantos que também os utilizei cozinhados. Refogados (em substituição do tomate) com alho, cebola e azeite, para cozinhar com as carnes . Estilo: cebolada para acompanhar bifes ou costeletas.
Este ano vou experimentar fazer licor. Deve ser bastante aromático, frutado, com um toque de suavidade . Tenho o pressentimento que vai resultar!

Mas como todos os anos lhe descubro uma nova utilização, nestes dias têm feito as minhas delícias aos lanches:
Depois de os abrir ao meio e ter retirado a polpa ( E sendo bem madurinhos, têm também bastante molho no interior da casca), descobri que são muito bons misturados em iogurte simples.
Eu gosto!

Para quem tem destas árvores que já conseguem dar bons frutos em algumas zonas do nosso país, fica a informação que esta árvore dura muito pouco tempo.
Cerca de 5 anos.
Portanto, quando ela dá os frutos no 1º ano devem semear-se novas sementes para assim produzir uma nova árvore para substituir a velha.
Os ramos são de folhas grandes, com aparência vigorosa mas no fundo são bastante frágeis ao vento, partindo-se com facilidade, pelo que é aconselhável não estarem plantadas em zonas muito altas ou expostas a grandes ventos. O ideal mesmo é que estejam protegidas por uma parede bem perto delas.
Exigem muita água.
Gostam da terra sempre húmida.
Apenas devem deixar de ser regadas quando os frutos começarem a ficar com tom rosado.
No auge da produção dão em cachos com cerca de 5 a 12 ou mais frutos.


Entretanto, aqui vos deixo as informações que recolhi no site da Vaqueiro:

Fruto rico em potássio e muito rico em vitamina A e C. Do tamanho e formato de um ovo, a casca é vermelha e a polpa tem textura da ameixa. Os caroços são vermelho escuros, numerosos e comestíveis.

Ao comprar, devem preferir-se os frutos maiores, rijos e de pele lustrosa e sem manchas. Se ainda estiverem verdes devem deixar-se amadurecer à temperatura ambiente. Quando maduros, exalam um agradável perfume e a polpa cede ao toque. Nessa altura, poderão conservar-se no frigorífico (4°C), dentro de um saco de plástico, durante cerca de 10 dias.

Os tamarilhos podem servir-se simples e comem-se à colher, como os diospiros. Se necessitas de lhes retirar a casca basta uma imersão durante 30 segundos em água a ferver e depois é só puxar a pele.

Crus, são óptimos para saladas de frutas ou legumes. Mas poderão ainda utilizar-se em tartes, pudins, mousses, soufflés, gelados, doces ou bebidas. Numa utilização mais original, experimenta escalfá-los como acompanhamento de carnes assadas.

E vocês?
Gostam desta fruta?
Como a utilizam?

Um comentário:

Isabel disse...

Eu também sou grande apreciadora dessa fruta.
O meu Pai tem uma árvore que todos os anos dá imensa fruta.
Comecei por comer o fruto aberto, como quem come o kiwi,á colher, depois passei a usar como acompanhamento de alguns pratos de carne e saladas.
Como a produção era grande, comecei a fazer doce, para mim e amigos, que não conheciam a fruta e adoraram o doce.
O ano passado experimentei fazer uma mousse, que ficou deliciosa.
Parabéns pelo blogue.
Isabel