terça-feira, 24 de janeiro de 2012

MOUSSE DE DIÓSPIRO


Os dióspiros são uma fruta que ama ou odeia. Não há o meio termo.
E sempre que vejo esta fruta à venda só me lembro de um episódio que me fez simplesmente odiá-los durante largos anos.
No final do ano lectivo ía para a aldeia passar uma temporada na quinta da minha avó. Por lá ficava desde Junho a Setembro.
Era a melhor época do ano.Uma época abençoada... Mesmo que estivesse enfiada todo o santo dia dentro de água a tomar banho eu deitava terra por todos os lados.
Aqueles dias pelos quais eu esperava ansiosamente ao longo do ano, que tardavam em chegar mas que depois passavam tão depressa! Para mim, aquelas semanas pareciam horas. Eu sabia que, dentro em breve o meu avô me trazia novamente a Lisboa e eu ficaria largos meses enfiada num 4º andar com vista para o Tejo.
Por isso, assim que chegava à aldeia e em plena liberdade, entregue aos avós e às empregadas, eu era como uma rainha. Fazia tudo quanto queria.
Os dias eram passados em contacto com a natureza e com os animais. Era muito irrequieta e nada escapava aos meus olhos e à minha curiosidade.
Adorava fruta, principalmente laranjas. Gostava do gosto doce e sumarento daquele fruto. E as que melhor me sabiam eram as que comia, empoleirada na árvore, depois de as colher nessa altura.
Por isso, quando um dia olhei para uma árvore carregadinha de frutos redondos e alaranjados , não lhe resisti.
E para facultar a colheita, ainda havia a vantagem de a árvore ser pequena e de eu lhe chegar bem.
Ora.... decidi-me a "apanhar laranjas".
Tirei uma e tentei descascar com as mãos. Não consegui.
Também não fazia mal.....vai de lhe dar uma dentada!
Nunca na vida sentira na boca uma sensação tão esquisita. Parecia cortiça. Achava que até os lábios me tinham inchado naquele momento. Eu bem tentava tirar os pedacinhos com a palma da mão, com o braço,com o vestido, com tudo quanto tinha à mão... Corri para o tanque da água. Por mais que lavasse a boca e a cara, aquele gosto persistia.
Corri para a avó a chorar. Ela disse : "foi bem feita! quem te mandou ser abelhuda! Não são laranjas!"
Depois, recordo como se fosse hoje, levou-me à cozinha. Abriu um frasco de mel e deu-me algumas colheradas para me adoçar a boca.

E foi assim que descobri o que eram os dióspiros... Que não se podem comer senão bem maduros...

Durante largos anos não me abeirei daquela maldita árvore nem podia ouvir falar neles quanto mais comê-los.
Muitos anos depois deste episódio e já depois de casada ( e porque o meu marido adorava este fruto), com muita insistência dele e bastante relutância da minha parte, a medo lá os provei.
Foi uma sensação estranha. Um misto de medo, mas também de interesse e desconfiança.
Adorar não adorei mas....comi melhor que pensava.
Ano após ano fui-lhe tomando o gosto.

Para ajudar à festa, em vez de 1 agora existem lá 2 enormes diospireiros...Para mal dos meus pecados e para bem do meu marido...
São tantos que até enjoam.

MOUSSE DE DIOSPIROS
5 dióspiros bem maduros
5 a 6 folhas de gelatina incolor
2 pacotes de natas frescas Longa Vida.

Como fazer:
Descascar os dióspiros e triturar bem.
Demolhar as folhas de gelatina em água fria. (se preferir pode usar gelatina incolor em pó)
Bater as natas quase até chantily.
Retirar um pouco de dióspiro triturado e levar ao lume, mexendo sempre. Juntar as folhas de gelatina bem escorridas e mexer para desfazer bem . Acrescentar então esta mistura ao resto dos dióspiros, mexendo bem.
Por fim despejar para a taça onde bateu as natas e bater um pouco para ligar bem.
Despejar numa forma passada por água gelada e escorrida.
Colocar no frigorífico até á hora de servir.



8 comentários:

Ginja disse...

Gostei de ler a tua história, também me fez recordar outros tempos :)
Eu confesso que comer diospiros não é do que mais me agrada, mas em sobremesas costumo adorar. Já usei a sua polpa em bolos e adorámos cá em casa. Esta mousse parece deliciosa.
Um beijinho.

kika disse...

Já eu adoro diospiros!! estou sempre desejosa que chegue a epoca deles!! e adorei a tua receita pois são tão raras... em bolo até o marido adorou e ele detesta!! bjks

Alcina disse...

Pois é essa esperiencia de uma maneira ou de outra todos passamos, comer um diospiro ainda meio verde, mas é uma fruta que eu também adoro, e vou ficar com essa mousse de olho para fazer. Há um amigo meu que faz uma espécie de semifrio que eu já tenho por lá no blog e também fica delicioso :-)

Ameixinha disse...

Ha ha, eu sempre comi dióspiros mas bem madurinhos :) Conheço essa forma de algum lado.

turbolenta disse...

Resposta a Ameixa
A forma é muito antiga, da Tupperware.Deve ter uns 40 anos mas como raramente é utilizada, é como as pilhas Duracell...dura....dura...
ah...ah...

As Receitas da Selene disse...

Durante 33 anos detestei diospiros. Um dia provei e fiquei apaixonada pelo seu sabor e textura.
Hoje, um diospiro para mim é bem melhor que uma sobremesa.
Adorei a sua sugestão

Beijinhos

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Desconhecia esta espécie de mousse... mas deve ser interessante!
O saber e aprender não ocupa lugar!

Smas disse...

Eu adoro dióspiros mas uma vez fiz um doce e os dióspiros não estavam bem maduros... ficou horrível :P
Esta mousse tem bom aspecto :)
E a história fez-me lembrar algumas coisas da minha infância, principalmente a parte de subir às árvores...
Bjs

P.S.: aqui são pastéis de ovo, não são como os nossos.